quinta-feira, 24 de abril de 2014

DEFESA PÚBLICA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO


PROGRAMA: PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUAGENS E SABERES NA AMAZÔNIA – PPGLS
ALUNA: Wanna Célli da Silva Sousa
TÍTULO: CURA, SABERES E MODO DE VIDA NA PRÁTICA DO CURANDEIRISMO EM BRAGANÇA-PA.
ORIENTADOR(A): Prof. Dr. Ipojucan Dias Campos

BANCA EXAMINADORA:

Prof. Dr. IPOJUCAN DIAS CAMPOS – Presidente (UFPA)
Prof. Dr. KARL HEINZ ARENZ (UFPA)
Prof. Dra. MARIA ROSEANE CORRÊA PINTO LIMA (UFPA)

LOCAL E DATA:

(SEXTA FEIRA) 25 de ABRIL de 2014 – 14:00 h
SALA DE AULA DO PPGLS – Bloco 02 – Sala 04.
Campus Universitário de Bragança

RESUMO

RESUMO
Esta dissertação trata essencialmente dos sentidos socialmente construídos em torno do curandeirismo em Bragança (PA); entendendo que tal prática não se realiza de forma isolada, mas, ela se manifesta em meio a um dado campo social de relações e trocas simbólicas com a medicina dita científica, a sociedade e com os diversos discursos construídos em torno dela. Ancorada na oralidade, este trabalho procura conhecer a história de vida de três curandeiros, que envolvidos por diversas divindades exercem, em terras bragantinas, a exímia arte de curar. Esses sujeitos, donos de um saber empírico oriundos das relações de trocas e diálogos interculturais com a natureza constroem modos de vida e saberes junto à população e assim criam identidades próprias a partir destas relações. No campo dessas representações, surge a necessidade de realizar um processo de rememoração através da história da construção do discurso, para entender sua materialização no contexto atual de Bragança e assim relacionar tal termo às construções que são difundidas a respeito das práticas de curandeiros. Por isso essa investigação coloca-se nos domínios de procurar entender porque parte da população bragantina recorre aos saberes dos curandeiros, ora como um uma possibilidade a mais para sua cura, ora como único meio que leve a esta. Mais do que registrar vozes por meio das entrevistas, tal trabalho agrega uma valorização do saber empírico desses sujeitos, refletido na linha dos elementos que vão construindo suas identidades em meio a rezas, orações, remédios, partos e curas, orientados de um envolvimento com a natureza, o local e imaginário social. Diante deste quadro, a dissertação dedica-se a entender os modos de vida e as relações que os curandeiros possuem com a sociedade bragantina, de modo que, alguns pacientes, orientam e constroem modos de vida a partir de tais práticas, chegando a reservar um espaço considerável de valorização do curandeirismo em sua vida cotidiana. Então este trabalho aborda três eixos, pensados a partir dos documentos adquiridos com a pesquisa de campo e com a narrativa de 1906 de Benedito César Pereira, a saber, os discursos políticos, cultural e social envolvidos na prática do curandeirismo, trajetória de vida de curandeiros e modos de vida da população.


PALAVRAS- CHAVE: Bragança, Curandeirismo, discursos, cura, modos de vida e saberes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário